อ่านนิยายออนไลน์ทั้งหมดฟรีที่นี่

O Vício de Amor

Capítulo 201

sprite

Marcelo estava nervoso, afinal, Renata foi colega de Natália, como ele podia explicar a ela? - Não chore. - Marcelo se aproximou para confortá-la, assim que a mão dele tocou seu ombro, foi empurrado: - Saia! Não me deixe ver você, sinto enjoada! Ela não pôde deixar de tremer quando pensou na noite passada, seu estômago estava revirando. A aparência de Marcelo mudou, mas reprimiu a raiva. Ele é homem, então ele não foi prejudicado de forma alguma neste caso. Além disso, este não foi a primeira vez dele, mas foi a de Renata. A coisa mais preciosa de uma mulher perdeu quando ela estava pouco sóbria. Por isso ele não se zangou com as palavras feias. - Ela está lá fora e acabou de bater na porta. - Marcelo olhou para ela, esperando que ela pudesse se acalmar e resolver problema atual primeiro. O choro de Renata parou abruptamente e levantou seus olhos vermelhos: - O que devo fazer? Que vergonha! Ela se cobriu com a colcha, desejando encontrar um lugar para esconder e nunca mais ver ninguém. - Não se preocupe - Marcelo a acalmou: - Que tal fingimos que estamos namorando? É melhor do que ser flagrado no dia seguinte de sexo casual. Se for um relacionamento sério, é normal fazer sexo. Não iria se sentir mais envergonhado. - Não pense! - Renata levantou a colcha, agarrou o travesseiro e bateu nele. - Se você não pressionasse me beber tanto, como uma coisa tão ridícula poderia acontecer. Marcelo agarrou o travesseiro que havia jogado, correu para cobrir a boca dela e sussurrou: - Você fala tão alto, quer que todos saibam que dormimos juntos na noite passada? Os olhos de Renata rolaram. Balançando a cabeça, ela não queria. É muito envergonhado. - Vamos fingir que estamos namorando, depois de um tempo, diremos que somos inadequados e não ficaremos envergonhados se nos separarmos então. O que você acha? Marcelo viu que ela não queria que outros soubessem, então aproveitou a oportunidade para propor o relacionamento nominal. Primeiro escondeu de Natália. Renata pensou um pouco, mas ainda não concordou. Marcelo respirou fundo. Por que essa mulher era tão teimosa? - Tudo bem, eu sou homem, é apenas um sexo casual, nada grave? Eu vou dizer que estávamos bêbados na noite passada e dormimos juntos. Marcelo fingiu que ia abrir a porta enquanto falou. Renata entrou em pânico. Marcelo agarrou a maçaneta, fazendo um gesto para abrir a porta. - Espere. O cérebro de Renata estava funcionando rápido, ela achou que as palavras de Marcelo também faziam sentido. Um namoro nominal era melhor do que um sexo causal. Afinal, eles se encontram com frequência, era muito embaraçado. - Eu concordo, fingimos ser um casal primeiro

- Renata exauriu sua coragem antes de dizer isso. Marcelo também tinha uma desculpa, então ele abriu a porta, mas não havia ninguém. Ele esticou a cabeça e descobriu que Natália havia retornado ao quarto. Natália sentiu que ela era muito impulsiva e não deveria bater na porta neste momento, não importa qual seja o relacionamento deles. Ela estava muito chocada, depois que se acalmou, percebeu que estava fazendo algo errado, então estava prestes a ir embora para que eles não fiquem envergonhados na sua frente. Marcelo a chamou: - Natália. Natália se virou e viu Marcelo esticando a cabeça da porta: - Quando for tomar café da manhã, tenho algo para contar para você. Natália acenou a cabeça, em seguida, abriu a porta do quarto. A propósito, ela queria sair para tomar ar fresco, mas agora perdeu a vontade, pensando o que Marcelo diria. Seria sobre ele e Renata? Com as cortinas fechadas, o quarto era muito escura. Natália sentou-se ao lado da cama distraidamente. Renata não era uma garota tão liberal. Como não conheceu Marcelo há muito tempo, por que ela. - O que você está pensando? - Jorge acordou e descobriu que Natália já estava vestida e sentada na beira da cama em transe. Ele se virou, estendeu a mão para abraçar a cintura esbelta dela. Com uma puxada suave, Natália caiu em seus braços. Aproveitando isso, Natália deitou-se. Jorge enterrou o rosto no pescoço dela, cheirando o perfume em seu corpo. Sua voz estava rouca depois de acordar: - Por que acordou tão cedo? Natália estava completamente imersa em que Marcelo saiu do quarto de Renata tão cedo. Era óbvio que ele passou a noite no quarto dela. - Que tipo de pessoa é Marcelo? Renata trabalhou com ela por muito tempo. Embora ela fosse de Santa Cruz, foi adotada por estrangeiros e cresceu no exterior. Depois de voltar ao país, ela não tinha parentes, exceto Natália. Ela tinha que cuidar dela. Jorge levantou a cabeça de súbito e olhou para Natália: - Por que você está perguntando sobre ele? Natália olhou para ele, disse a verdade: - Eu o vi saindo do quarto de Renata. Jorge piscou, seus longos cílios tremeram algumas vezes, demorou alguns segundos antes que ele reagiu. Marcelo e Renata? Jorge ficou sem comentário. Ele apoiou sua testa, pensando: “Esse bastardo, agiu tão rápido. ” Natália o empurrou: - Eu estou perguntando a você. Renata não tem família, voltou a Santa Cruz comigo, eu tenho que ser responsável por ela. Marcelo é uma pessoa confiável? - Ele. é bom

- Jorge se virou e deu as costas para Natália. Ele não pôde trair seu amigo, nem pôde enganar sua esposa. Natália sentiu que algo estava errado, era óbvio que ele estava evitando a sua pergunta. Ela agarrou seus ombros e o virou para si mesma, seu tom ficou mais sério: - Fala a verdade. Jorge a abraçou. - Quando você pode me deixar dormir com você? Eu sou um homem normal e vou broxar. Natália empurrou seu rosto: - Estou falando sério com você. Se você continuar assim, vou ficar chateada. Jorge ergueu a cabeça, sentindo injustiçado. Ele, Jorge Marchetti, por que caiu nessa desgraça? Ele olhou para o céu, ficando silencioso, se achando o homem mais miserável do mundo. - Vou perguntar a Vanderlei. - Quando Natália estava prestes a se levantar, Jorge segurou-a com mais força, para agradar sua esposa. Os amigos tinham que ficar para trás. - Ele tinha uma namorada, foi o primeiro amor dele, depois eles se separaram, o que foi um grande golpe para ele. Com decorrer de tantos anos, não estabeleceu um relacionamento sério. Desta vez, ele deveria levar a sério, caso contrário. Ele deu a Natália um olhar significativo e aproveitou a oportunidade para enterrar em seus braços:- Eu não tinha nenhuma namorada antes. Depois de assumir a empresa, ele se concentrou em sua carreira. Ele não tinha tempo, aliás, não tinha ninguém que entrou no seu coração. - Você tem que me compensar. Havia um fogo maligno percorrendo seu corpo e seus músculos estavam contraídos. Ele sentiu que seria torturado até a morte mais cedo ou mais tarde. Homem fica mais sensível na manhã, especialmente na frente da mulher amada. O desejo sexual fica mais exuberante. A respiração dele ficou cada vez mais pesada, ele chamou o nome dela com ternura:- Tália…- Não gosto de homem que só pensa em fazer sexo o dia todo. As palavras brandas de Natália atingiram ele como uma bacia de água gelada. Apagou o fogo ardente dele e até mesmo as pequenas chamas. Jorge se virou e olhou para o teto:- Mais cedo ou mais tarde, eu vou morrer na sua mão. Ele não sabia o que havia de errado com ele, apenas queria fazer amor com ela. Queria convencê-la para amassar. Mas ela foi tão teimosa